Navegando pela tempestade – Resumo semana 21

Uma semana de retomada na bolsa brasileira. A política segue sendo o leme do nosso barco que vai de encontro ao rochedo. Se o leme quebrar o Brasil afunda, se não acertar o rumo e desviar das pedras, o Brasil afunda. A única passagem segura é o estreito da previdência.

Na Semana: Ibovespa 93.627 pontos, +4,04%. Dólar: R$4,02, -1,90%.

Depois das tensões e consequente queda na semana passada. O Ibovespa se recuperou nesta semana. Não cansamos de repetir, que momentos de indecisão como este que vivemos hoje são marcados pela alta volatilidade no mercado.

Estômago de ferro é preciso

Aos nossos olhos, o que modificou o sentimento de temor para euforia foi a não confirmação das notícias veiculadas na mídia (este fenômeno foi abordado aqui com profundidade). Nada além disso vimos como determinante nesta mudança.

A narrativa era que o Centrão estava pronto para deixar caducar a MP870 das reformas dos ministérios ou descaracterizá-la por completo. Apontava-se novamente a falta de articulação do governo, nas redações de jornais e entre a oposição falava-se de impeachment.

Todavia a votação aconteceu. Os ministérios foram mantidos como estão. No Senado, mais algumas mudanças favoráveis ao governo e, no final, tudo não passou de uma tempestade de verão.

Ações que voaram na semana

As ações da Gol foram o destaque. Subiram 20,54%. Não obstante, as da Azul valorizaram-se em 8,54%. Os motivos da alta: queda no petróleo na semana (-5,99%) e aprovação da MP do setor aéreo. Além, claro, dos citados acima.

Nas estatais, que estão sempre mais suscetíveis à política, as ações da Eletrobrás foram as que mais se valorizaram, 7,91%.

Tensões internacionais

No exterior, a disputa continua. Donald Trump segue avançando e ganhando terreno na guerra. A Huawei é a que mais sofre, muito por pertencer a uma área sensível, ligada a tecnologia e segurança de dados.

Não obstante, mais amostras da fraqueza da economia chinesa foram dadas nesta semana. Mas desta vez não foram números da economia, foram declarações dadas por oficiais ligados ao Partido Comunista Chinês.

Um conselheiro econômico mostrou sua preocupação diante do aumento de endividamento dos doméstico chinês. Um índice que o governo vinha trabalhando para reduzir. Porém, a disputa com os Estados Unidos pode elevar o grau que já é alto hoje, cerca de 250% de alavancagem. Isto significa dizer que a estratégia de manter o crescimento da economia via política monetária pode estar chegando ao limite – lembremo-nos dos pacotes do saudoso Guido Mantega em 2012-2013 que nada renderam para a economia brasileira.

Além disso, um membro do conselho monetário declarou que os traders que estão se posicionando para a queda da moeda chinesa terão grandes perdas. Uma fala deste nível mais soa como uma tentativa de intimidação para forçar a desmontagem de posições do que uma certeza que a economia do país vai melhorar.

Declarações como esta nos faz perguntar: Até quando o governo comunista conseguirá mascarar a real situação de sua economia?

Portanto, acreditamos que é um ótimo momento para comprar ações baratas aqui no Brasil. No exterior, China vai nitidamente mal e perdeu a disputa com EUA, embora este também esteja acrescendo em um ritmo mais lento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *