Será o cavaleiro do apocalipse? – Resumo semana 7

Diante da ameaça do coronavírus, tentei, sem sucesso, procurar por informações não apocalípticas sobre o que pode acontecer a humanidade e ao mundo. Todavia, adianto aqui que não vejo um perigo tão grande. A economia chinesa sofrerá no curto prazo, mas logo se restabelecerá. Tampouco será o fim da raça humana.

Sabemos que historicamente o governo comunista esconde os dados verdadeiros do mundo. Sejam eles econômicos ou sociais. Com a atual epidemia não seria diferente. Os números oficiais são claramente manipulados, prova disso foi a atualização do números de mortos devido a contagem duplicada. Acreditamos que o número de casos e mortos sejam muito maiores que os divulgados, mesmo assim não chegaria a 1% da população.

Ora, na China tudo é em grande escala, com 1,3 bilhões de habitantes. Se alguém soltar um peido no metrô pelo menos 100 compatriotas compartilharão o odor. Por isso, o normal é esperar que o vírus se espalhe rápido.

A reação do Partido Comunista Chinês

Os vídeos de pessoas sendo recolhidas, arrastadas, tiradas de suas casas a força se propagam na internet. É a reação tardia e violenta do governo chinês. Nada de novo para aqueles que conhecem a maneira comunista de governar.

Em um primeiro momento houve a negação do fato seguida pela perseguição daqueles que o denunciavam. Após houve a minimização do problema, seguido com toque de recolher e violência contra os cidadãos.

Deste modo, a pressão interna e externo sob Xi Jinping aumentou. O modo que como a epidemia está sendo encarada não agradou o mundo. Enquanto o setor agrícola sofre, pois os produtores são impedidos de transportar alimentos para as cidades, o setor produtivo está parado, pois os trabalhadores são impedidos de saírem de casa. A resultante é uma economia travada.

Dados econômicos chineses

No meio dessa confusão, os dados econômicos chineses mostram-se ruins. As vendas do setor automobilístico podem cair 18% comparado com fevereiro de 2019, segunda expectativas da Associação China de Fabricantes de Automóveis. Além disso, seria a décima nona queda seguida. Não obstante, as empresas de tecnologia também pararam e tentam retomar aos poucos sua produção.

Embora o governo chinês tenha anunciado injeção de dinheiro nos mercados, as informações de que os gastos do governo aumentam em 8,1% ao ano, nos fazem perguntar até o Partido Comunista Chinês terá dinheiro para sustentar o crescimento da economia?

Ao que tudo indica, a segunda maior economia do mundo terá uma queda brusca no primeiro trimestre do ano, recuperando-se logo no trimestre vindouro. Sabe-se, porém, que essa recuperação não será suficiente para garantir a meta de crescimento econômico do ano. O certo é que ficaremos atentos para saber qual será a contabilidade criativa usada pelos comunistas para apresentarem os números que prometeram.

Por fim, o coronavírus pode não ser o cavaleiro do apocalipse, mas sim um catalizador dos problemas econômicos que a China vem atravessando e escondendo do mundo a todo custo. Ademais, esperamos que algumas empresas aqui no Brasil sintam a desaceleração chinesa, mesmo que marginalmente. O câmbio também tem sido discutido pelos “especialistas” nos jornais. Todavia, este assunto ficará para a próxima semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *