O acordo de 2020 – Resumo semana 3

Acordo China EUA

A assinatura da primeira fase do acordo entre EUA e China marcou a semana. O acordo, que ainda acreditamos que não vá sair, foi particionado, parece muito mais para inglês ver do que uma aliança consistente que fará com que a China adote práticas justas de concorrência.

As promessas da China no acordo são comprar mais US$ 32 bilhões em produtos agrícolas e US$ 52 bilhões em produtos de energia. Além disso, a China se comprometeu a abrir o mercado para os bancos de investimentos e para as operadoras de cartão de crédito.

Por trás do acordo pode haver uma figura oculta

Enquanto o vice primeiro ministro diz que a relação China e Estados Unidos nunca foi tão boa e as promessas se acumulam, nós seguimos céticos. O motivo, claro, é o histórico dos governos comunistas. Eles fazem acordos, não cumprem totalmente sua parte e acusam a outra parte de descumprir.

Ademais, se a Partido Comunista Chinês assinou esta primeira fase do acordo, por óbvio, foi ótimo para os planos de dominação comunista. Desta maneira, o governo chinês aparece na mídia de todo mundo como os negociadores, que dialogam para promover a prosperidade da economia mundial. Entretanto, essa mesma mídia, sempre anti-Trump, sutilmente descreve o presidente americano como o vilão, aquele cara malvado que faz inúmeras exigências. A verdade, porém, é diferente. A China tem escravizado seu povo, tem reprimido de forma violenta os protestos em Hong Kong, roubado patentes e tecnologia do mundo inteiro.

Apesar desta dissonância entre o que a realidade e o que é noticiado, o acordo por hora é bom para os investimentos. Acalma os mercados e nos dá uma possibilidade de vislumbrar menos volatilidade em 2020.

Brasil em 2020

O Brasil pode ser afetado com o acordo de 2020, pois a China compra 80% da produção de soja do país. As tensões dos últimos anos beneficiaram os produtores brasileiros que também tiveram ao seu lado um câmbio mais favorável. No entanto, não esperamos que o Brasil sofra com este novo cenário.

Nosso otimismo com a economia brasileira é consonante com os dados e as previsões da melhora das contas públicas como, por exemplo, a redução do déficit e o controle do aumento da dívida. Tanto é verdade isto que o Ibovespa atingiu 118.478 pontos na última sexta-feira.

Em suma, é hora de comprar ações de empresas brasileiras.

   Send article as PDF   

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *