Assassinato no Expresso Oriente (Médio) – Resumo semana 38

Ataque Arabia Saudita

Quem atacou as refinarias da Arábia Saudita? Como no livro êmulo de nosso título, descobrimos que todos os passageiros tinham interesse nisso:

A Arábia Saudita estava de joelhos pedindo para aumentar o preço do petróleo e nada ia fazer aumentar o preço do petróleo se não fosse este ataque. Foi o melhor dos mundos para os sauditas. Confunde-se produção com venda, mesmo que a produção saudita fosse afetada eles tem reservas de petróleo e favores no Golfo Pérsico para entregarem o petróleo devido. Ou seja, a Arábia tinha interesse em ser atacada. O custo de consertar meia dúzia de trocadores de calor e torres de destilação é mínimo frente aos ganhos do maior preço.

A Rússia, ainda que aliada do Irã, também queria muito uma alta, dado suas vendas de petróleo e gás. A Rússia precisa muito de caixa. O Irã se beneficia, porque, fechado dos mercados internacionais pelas sanções americanas, vende petróleo via Índia no mercado negro. Além de “chamar às armas” seus aliados.

Os Estados Unidos também se beneficiam de um petróleo mais alto já que viabiliza a exploração do óleo de xisto (shale). Também se beneficia porque pode apertar mais e mais o torniquete ao Irã, deixado perigosamente nuclear pela Administração Obama. Além de autorizar mais presença militar no Oriente Médio pela Arábia e Emirados Árabes.

Ou seja, nesse Assassinato do Expresso Oriente, todos tem seus motivos. E digo com muita confiança de que os EUA não irão à guerra contra o Irã. Não vai Donald Trump arriscar uma reeleição quase certa numa aventura militar. As armas cibernéticas e financeiras dos EUA contra Irã e Rússia são temíveis e já vem sendo postas em operação com bons resultados. Guerra convencional para quê? Para os democratas, cada vez mais esquerdistas, esfregarem o cadáver do primeiro marine morto em todo telejornal? Até eu que sou mais besta não caio nesta, imaginem Trump.

Quem atacou a Arábia Saudita? Não importa. Importa que muita gente se beneficiou. Subida de 20% no dia, que beleza! Desde a Guerra do Golfo não se via algo assim.

Ataque Arabia Saudita

O ouro, refletindo as incertezas, foi para 1500 UDS/onça. No Brasil, como o dólar recuou, temos R$ 200/g.

Para ser franco, o ataque à Arábia teve um prejudicado, eu. Estava vendido em calls da Petrobrás e fui exercido… Como cui prodest scelus, is fecit; eu sou inocente!

O estouro do Ibovespa adiado

Com a reforma da previdência parada de maneira atávica no Senado e as tensões geopolíticas crescendo no mundo, na última quinta o Ibovespa fez um movimento muito feio, um shooting star, e reverteu toda a alta pujante que teve. Mau sinal. Como diria a metáfora futebolística: “Quem não faz toma“. Sem assunto interno, o assunto é externo.

Mas vivemos tempos estranhos em que a escolha do Procurador Geral da República gera mais debates que a do Técnico da Seleção Brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *