O medo das tiranias – Resumo semana 33

argentina

A semana que passou foi marcada pelo banho de sangue já na segunda-feira. A vitória do político representante do Foro de São Paulo fez o dólar subir mais de 30% na Argentina, aqui não poderia ser diferente e acompanhamos o medo.

Além disso, tivemos mais ameaças da China de retaliação a subida de tarifas americanas aos produtos importados. A semana agitada derrubou o Ibovespa para abaixo dos 100 mil pontos.

Comunistas na frente na Argentina

O gradualismo adotado por Macri não foi benéfico para nosso país vizinho. A despeito de ter recebido das mãos de Cristina Kirchner um país destruído, ele não tomou as medidas que deveria, ao menos não forte como deveria.

O resultado veio das urnas no último. Os argentinos preferem a volta dos comunistas ao poder, pois não viram em Macri a solução que esperavam. Contudo, como pode quem destruiu o país arrumá-lo?

De fato, a Argentina vai mal. As contas do governo estão descontroladas. Diante da derrota, Macri esquerdou de vez. Congelou o preço da gasolina, aumentou o salário mínimo e cortou impostos dos alimentos.

Nada disso, funcionará. Lá, como aqui, os jornais são todos dominados pelos socialistas que se dizem jornalistas. A derrota é certo. Medidas populistas como estas não funcionarão nem para melhorar a vida dos argentinos nem para ganhar a eleição.

O certo é que o atual presidente da Argentina pouco fez nestes quatro anos, não cortou despesas, não diminuiu o Estado como deveria e seguiu imprimindo dinheiro. Bom para o Foro de São Paulo que provavelmente subirá ao poder e não mais sairá. Teremos mais um satélite cubano em nossas frente. Poderemos chamar o país dos hermanos de Venezuela do sul.

China contra-ataca

A China vem ameaçando dar o revide sobre as taxas que os EUA impuseram. Isto era esperado, pesa, porém, o fato da economia chinesa estar em baixa. Não parece que os chineses terão força para competir com os americanos.

Embora se fale muito de recessão para os Estados Unidos e apenas de desaceleração para a China. A realidade mostra o contrário. O segundo trimestre mostrou que as vendas do varejo no país sino foram as mais baixas dos últimos 30 anos.

Somados com todos os outros fatores já levantados em outros resumos aqui apresentados. Só um evento fora da curva, que pegassem todos de surpresa poderia virar o jogo e colocar a China em posição de fazer frente aos americanos.

Seja na Ásia, seja na América Latina, os comunistas colocam medo nos mercados. Os correm para ativos como o ouro para salvaguardar seu dinheiro. Na Argentina, as famílias que dolarizaram suas economias poderão enfrentar os próximos tempos, pois, se confirmada a volta dos comunistas, serão anos difíceis para os argentinos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *