Bolsonaro volta a ser Bolsonaro – Resumo semana 25

Bolsonaro volta a ser Bolsonaro

As mudanças realizadas no governo na última semana mostraram que o presidente Bolsonaro voltou a ser o mesmo da época da campanha. Não obstante, o mercado respondeu com entusiasmo diante das mudanças. No exterior, a expectativa é pela reunião do G-20 e como se desenrolará o conflito entre Irã e Estados Unidos.

Na semana:
IBOVESPA: 102.012 pontos, +4,05%.
DÓLAR: R$3,82, -1,89%.

Bolsonaro de volta e cabeças rolaram

Não há como acompanhar o desempenho do Ibovespa nesta semana sem falar de política, em especial, a um posicionamento mais forte, poderíamos chamar de tomada de rédia, do presidente Bolsonaro.

Ele precisou de um pouco mais de cinco meses para se adaptar e aprender como as coisas funcionam em Brasília. Os efeitos vêm sido notados nos últimos dias:

  • Retirou a articulação política das mãos de Onix Lorenzoni;
  • Demitiu Santos Cruz;
  • Demitiu o presidente dos Correios;
  • Despachou o ministro da Secretaria-Geral ligado a Santos Cruz;
  • Reiterou que petista não participa do seu governo;
  • Por isso, demitiu Joaquim Levy do BNDES;
  • Confirmou apoio irrestrito a Sergio Moro;

Elencadas assim, percebe-se o tamanho das mudanças. Bolsonaro parece que ainda está ajeitando a casa. Esperemos que sejam os detalhes finais para que as reformas que tanto os investidores e, principalmente, os brasileiros precisam avancem.

Os jornalistas, como de praxe, noticiaram uma pretensa tensão e nervosismo do mercado com a demissão de Joaquim Levy. Como já explicamos em outro artigo, eles tem o dom de errar. Na segunda-feira passada, o mercado abriu em alta e fechou a semana com valorização de mais de 4%. Quanto nervosismo.

Correios privatizados

A intenção da equipe econômica liderada por Paulo Guedes é privatizar os Correios. O presidente Bolsonaro endossa, logo, quando o presidente dos Correios vai contra isto, ele deve ser descartado.

As privatizações são essenciais para o crescimento da economia. As empresas estatais que dão prejuízo, então, devem ser vendidas o quanto antes. É aquela história de que os lucros ficam para o governo e o prejuízo para o povo. Sem nem tocar no esquema do Mensalão.

Exterior: entre a expectativa e as tensões

Globalmente de concreto mesmo só houve a derrubada de um drone americano executado pelo Irã e o encontro dos “presidentes” de China e Coréia do Norte.

Além disso, Trump acusou o presidente do Banco Central Europeu de enfraquecer a sua moeda para obter vantagens no comércio. O que ocorre é que a economia no Velho Continente engatinha, ou melhor, anda de bengalas. A inflação teima em ficar abaixo da meta e Mario Draghi anunciou que mais estímulos podem ser adotados. Naturalmente, o Euro caiu frente ao dólar. Contudo, a visão do presidente dos Estados Unidos não está errada.

A inflação também é preocupação do Fed. Por isso, as expectativas é que providências sejam tomadas para que ela fique perto da meta de 2%. Por providências deve-se entender não haverá mais alta dos juros americanos. Wall Street comemora.

No Japão, as exportações caíram pelo sexto mês seguido. Na base anual tiveram uma queda de 7,7% em maio. Tudo indica que os estímulos do Banco Central Japonês irão continuar.

Comunistas se articulam mundialmente

Não podemos deixar de registrar como tem sido forte a articulação dos comunistas ao redor do mundo. Tivemos encontros dos partidos comunistas:

  • da Rússia e China;
  • da Rússia e Brasil (PT);
  • da Rússia e Venezuela;
  • da Rússia e Cuba;
  • da China e Coréia do Norte.

Importante destacar, estes são só os encontros que saem na mídia. Os secretos, por óbvio, não sabemos.

Se juntarmos com os recentes atos de guerra impetrados pelo Irã, parceiro de China e Rússia, podemos ver que nada está acontecendo por acaso. O mundo está dividido. A questão é proteção para uma possível guerra.

Nos últimos anos, Rússia e China têm aumentado seu estoque de ouro. Fazer o mesmo seria uma maneira eficiente de proteção.

Por fim, acreditamos que agora seja hora de embolsar os lucros das ações e comprar alguns dólares. Teremos mais volatilidade nos próximos dias e podemos nos beneficiar com isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *