O jogo das palavras – Resumo semana 23

O jogo das palavras china

Estamos nos aproximando da metade do ano. O índice Ibovespa está refletindo o que acontece com a política no país. A reforma não sai, ele espera, anda de lado. Lá fora os sinais de Estados Unidos e China são distintos. O mundo volta a falar de recessão. Por enquanto, são só promessas e ameaças, um jogo de palavras sem fim.

Na semana: Ibovespa: 97.821 pontos, +0,82%. Dólar: R$3,88, -1,08%

A semana marcada foi pela visita do presidente brasileiro a Argentina. Uma tentativa de reforçar os laços com o país vizinho que está em período pré-eleitoral.

Ele falou até em moeda única. Sabemos muito bem da impossibilidade disto acontecer. Muito porque os hermanos estão pior que nós financeiramente. Se isto não bastasse, ainda tem perigo de Cristina Kirchner voltar ao comando do país.

Sobe e desce do Ibovespa

Ademais, quem acompanha a política nacional sabe da queda de braço que acontece entre o governo e o Centrão. Enquanto este quer cargos e dinheiro, aquele quer fazer a reforma da previdência urgentemente. Numa semana as notícias informam que o Centrão está no controle. Noutra o governo avança. É um vai-e-vem sem fim.

Ao olharmos para o índice da bolsa brasileira notamos o reflexo desta discussão, o gráfico abaixo evidencia nossa visão.

índice ibovespa junho 2019

É nítido que o Ibovespa vem se movimentando entre 94 e 98 mil pontos. Para ser mais exato, dos 108 dias de negociação até aqui em 70,3% ou 76 dias ele se manteve acima dos 94 mil pontos e abaixo dos 98. A média foi de 95.448 pontos, quase na metade do caminho. O histograma abaixo ajuda na compreensão.

Por conseguinte, isto é a sinalização de que os agentes do mercado estão esperando a confirmação da reforma, não querem pagar para ver. O mesmo acontece com as empresas que, por não saberem o que acontecerá, seguram seus investimentos. Com isso, a economia sofre, o brasileiro míngua.

Contudo, esta realidade faz parte do jogo democrático. Não estamos nem levantando a questão se deve ou não ser assim.

A despeito da volatilidade e do nervosismo, os momentos de baixa são ideais para comprar ações de ótimas empresas com um valor descontado. Por isso, continuamos tendo a plena convicção de que a reforma da previdência passará e vemos janelas de oportunidades aqui – já tivemos dez neste período.

STF governando?

Além da reforma da previdência, o Brasil carece da diminuição do Estado para poder voltar a crescer. O governo criou até uma Secretaria de Privatizações para acelerar este processo.

Recentemente, houve o anúncio da venda de subsidiárias por parte da Petrobrás. Tudo estava indo bem, o mercado gostou. Ações subindo e, então, entram em cena os ministros do STF. Liminar proibindo a venda. Discussão em plenário.

Embora tenham autorizado a venda de subsidiárias, forçaram as privatizações das empresas passarem pelo Congresso. O estranho que para criar uma estatal não há a mesma exigência. Não é a primeira vez – e nem será a última – que os togados foram contra os interesses do povo e impediram que a economia do país destrave.

O jogo de palavras

Donald Trump sempre foi bom com as palavras. Ele usa o Twitter para fazer pressão em mexicanos, iranianos, chineses. Por outro lado, Xi Jinping, presidente da China, não usa, pois ele proibiu o uso de redes sociais no país.

Normalmente, ele utiliza membros do partido comunista ou de autarquias inferiores para mandar recados. Porém, neste semana, ele afirmou para um portal russo que a economia de seu país – poucas vezes usei um pronome possessivo que descreve tão bem a situação – está estabilizando e melhorando notavelmente.

Já tivemos a experiência em muitos lugares inclusive em terras tupiniquins que quando um governante vem a público dizer algo que não corresponde à realidade, a queda é eminente. Não obstante, o simbolismo de estar na Rússia, parceiro comunista, pode nos dizer muito sobre como está a situação da economia chinesa, não nos ideais marxistas.

Os dados além das palavras

A verdade é que a China está mal e o Estados Unidos venceram a disputa comercial. E não adianta dizer que a economia americana mostra não estar tão bem assim.

O ex-presidente americano Ronald Reagan para vencer a União Soviética quebrou uma de suas promessas de campanha e aumentou o orçamento do governo. Escolheu o mal menor. Trump parece que faz a mesma coisa.

Os dados dos EUA mostram que foram criadas mais 75 mil vagas de empregos em maio, menor número desde 1969! Não seria loucura relacionar este bom momento americano com a recuperação econômica de seu país vizinho o Canadá. O desemprego no país mais ao norte da América atingiu 5,4%, mais baixo nível da série. Além disso, a balança comercial do país também melhorou.

Do outro lado do mundo, o Banco da China adicionou mais liquidez aos bancos locais depois da quebra da primeira instituição financeira chinesa. Foi a segunda maior adição da história do país que está “estabilizando e melhorando”.

Outras fontes sinalizam ainda que as empresas que operam na China tem sentido os efeitos negativos da guerra comercial. Na Austrália, grande exportadora de commodities, a economia não vai muito bem. O motivo: compras chinesas fracas.

De fato, as previsões apontam para um crescimento modesto do comércio internacional. Tanto que o Fed sinalizou que está preparado para intervir caso os sinais de recessão apareçam no horizonte. Wall Street, claro, ficou todo animado com a notícia. De mesmo modo, o Banco Central Europeu anunciou estar disposto a ajudar a economia do velho continente que patina há anos.

Para finalizar, o momento é de comprar ações brasileiras e dólar para se proteger de eventuais crises que podem ocorrer lá fora e nos atingir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *