No nono círculo do Inferno – resumo semana 20

Guerra comercial dos EUA com a China ainda quente, e para piorar, recrudesce a luta entre a nova política do Executivo e a velha do Legislativo.

“No meio da jornada achei-me numa selva tenebrosa”

O governo Bolsonaro atravessa o nono círculo do Inferno, onde Dante Alighieri colocou os traidores. Pulamos os outros oito. Era esperado. Sem dúvida era. Movimentações no Congresso Nacional do chamado Centrão para esvaziar a Reforma da Previdência, re-inchar a Máquina Pública e implantar um “parlamentarismo branco”, com comando ativo da Administração Pública pelo Legislativo, tudo isso levou o mercado ao Inferno. Tudo isso sob as bênçãos plácidas dos militares, que esperam o governo cair num crime de responsabilidade para colocar o seu General Mourão.

O mercado, que não é besta, derrubou o índice de nossa Bolsa abaixo dos 90.000 pontos.

A estratégia do Centrão é diabolicamente simples: asfixiar orçamentariamente o Executivo para que este fique sem dinheiro para pagar as contas. Isso se dá negando recursos e aumentando as despesas. OU o governo pedala e cai por Crime de Responsabilidade, OU não paga as contas e cai por Crime de Responsabilidade. Porém a alternativa é governar com o Centrão, com as esquerdas na cola, é receita para a corrupção, sendo denunciado e depois cai por Crime de Responsabilidade: como aprendemos nas CPIs dos idos dos anos 90, a esquerda é boa para denunciar crimes, mesmo que depois os cometa dez vezes pior. Não é a toa que o filósofo Olavo de Carvalho disse que seria suicídio colocar um presidente conservador no atual estado de coisas. E como disse o mesmo Dante: “Sábio famoso, acude ao perseguido!!!“. É o leito de Procusto. Ou diria leito de Maia e Mourão.

Como prevíamos, aconteceu, o perigo Hamilton Mourão: Bolsa para baixo, dólar para cima. O dólar responde rápido, atingindo a máxima de 4,10 a época eleitoral. O Establishment é inimigo do investidor, dissemos. Temos razão. Repito nosso artigo: “O brasileiro deve se preparar para o pior. Reservas em dólar e ouro, inclusive físico, posições vendidas em Bolsa brasileira. Carteira de puts e collars em derivativos. Movimentos de diversificação em bolsa americana. Títulos indexados à inflação. Imóveis como preparação à desvalorização monetária de um governo inflacionário desenvolvimentista. E, naturalmente, o retorno a um governo de esquerda aliado ao Foro de São Paulo nas próximas eleições.” . Eu acrescentaria uma pitada de pimenta ai, a venda de calls descobertas, porém muito pouco. Só para dar um temperinho.

Do sangue da Medusa morta nasceu Pégasus, o cavalo alado. Que das sementes da melancia, verde por fora, vermelha por dentro, das Forças Armadas brotaria um tucano é verdadeiramente irônico. E um chinês. Hamilton Mourão já vai para a China. Não ia ser fácil. Deixaram o mercado sonhar. Mas Deus favorece os fortes. O Sol é o melhor desinfetante.

Lógico que sempre haverá liberais de meia-tigela e os esquerdistas de sempre culpando em professor septagenário semi-cego no Facebook pelos problemas do governo… Quem os segue, perde dinheiro.

Trump com a faca e o queijo na mão

A China há que se consolar aumentando sua influência no Brasil com o General Mourão, porque Trump está com a faca e o queijo na mão para colocá-los em seu lugar. A economia americana vai bem, e a chinesa não, que desacelerou mais profundamente ainda em abril. Pequim vai tentar dar leite de pata com incentivos. É sempre assim.

Logicamente, a retória da guerra comercial fez o Dow Jones fugir dos topos. E pelo twitter o presidente americano já passou o recado de que é melhor a China aceitar logo o re-alinhamento das tarifas, ou torcer pela vitória da oposição, porque em seu segundo mandado ele jogará mais pesado ainda.

Trump tem tudo para vencer. Para quem diz que não dá para governar pelo twitter, o homem mais poderoso do mundo mostra que poder é algo bem plástico.

Apesar de tudo, o ouro não reage à tensão. É por isso que nos mantemos otimistas com a economia mundial. Numa crise, deveria estar acima de 1300 USD/onça. Se o ouro vai mal, este mundo de moeda fiduciária e DSE vai bem. Infelizmente, no Brasil, com o preço atrelado ao dólar, vemos quase 167 R$/grama. O dólar quem subiu, não o ouro.

Por falar em moeda, e não é que o Bitcoin deu uma reagida??? Chegou a 8.000 USD! Veremos, veremos, veremos…

E o petróleo? Deu um tempo. A Arábia Saudita vem se comportando. Nem se ouve mais falar tanto da Rússia… Mas com a tensão política, nem pense em achar que isso influencia tanto Petrobrás, que descansou num suporte de 24,50. E olha que há duas semanas os preços dos combustíveis estão imóveis..

Cielo… só que não

No mercado nacional não há muito destaques de ações na crise, mas como nosso tema foi o Inferno de Dante, falemos de Cielo, que está longe do Cielo. A ação vive uma tempestade tripla, apesar de boa empresa, enfrente forte concorrência. E ainda vive um momento de tensão de mercado nacional e internacional. É a tempestade mais que perfeita.

1 thought on “No nono círculo do Inferno – resumo semana 20

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *