A Relação entre Renda Fixa e o Brasileiro

brasileiro renda fixa

Investir na renda fixa está enraizado na cultura do brasileiro. O fato de nosso passado ser repleto de longos períodos que os juros eram altos contribuiu. Não obstante, a elevada taxa de juros fez com que o poupador brasileiro se acomodasse e não procurasse outras formas de investimento mais sofisticadas.

A taxa de juros – também chamada de taxa Selic – era o mecanismo mais utilizado pelo Banco Central para controlar a inflação e o câmbio. Os títulos de renda fixa chegavam a render 12% ao ano descontada a inflação. Por isso, enquanto o mundo vivia ciclos de juros baixos, o Brasil andava na contramão. Muito em função da instabilidade econômica e da hiperinflação. Tivemos por muito tempo a maior taxa de juros real do planeta.

O Brasileiro e a Renda Fixa

O Brasileiro alocou por muito tempo seu dinheiro em Certificado de Depósitos Bancários – o famoso CDB – e na famigerada poupança. O juro alto e a comodidade de obter rendimentos foram os fatores que determinaram a média do perfil de investidor.

brasileiro renda fixa

Entretanto, as coisas começaram a mudar em 2012 quando a presidente Dilma forçou os juros para baixo para incentivar o crédito. Aquilo foi só um aperitivo de como é o mundo dos juros baixos. Com a intervenção do governo na economia vieram a crise e a inflação. Consequentemente, juros foram jogados novamente para cima. O novo governo ajeitou as contas, derrubou a inflação e os juros despencaram. Hoje estão em modestos 6,5% ao ano.

Minha aplicação não está rendendo nada!

Concomitante com as taxas baixas, tivemos mudanças nas regras de rentabilidade da poupança. O resultado foi que aplicações de renda fixa que antes davam rendimentos satisfatórios são raras agora. “Minha aplicação não está rendendo nada!” é a frase que mais repete do Oiapoque ao Chuí.

Assim, os sinais de alerta foram ligados. O trabalhador brasileiro notou que precisa fazer algo a mais para ver seu suado dinheiro render. Não adianta mais “deixar o dinheiro parado”. Novos tempos para conseguir rentabilidade na renda fixa chegaram e é preciso se adaptar.

Nos próximos artigos traremos: o que você precisa saber sobre renda fixa, quais são as melhores opções (mesmo para quem tem pouco) e, o mais importante, como fazer para investir.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *